domingo, 8 de agosto de 2010

PINGA


José Lázaro Robles
Nascimento: 11/2/1924, São Paulo-SP
Falecimento: 8/5/1996, Campinas-SP
Período: 1953 a 1962
Títulos: Carioca (1956, 1958), Torneio Rio-São Paulo (1958)
Posição: Atacante












 "O futebol estava no sangue dos Robles. José Lázaro deu seus primeiros passos no campo do Juventus, na rua Javari. Seu irmão três anos mais velho, Arnaldo, já jogava no juvenil da Portuguesa de Desportos e tinha o apelido de Pinga Fogo. Quando promovido para a categoria principal, Arnaldo chamou seu irmão José Lázaro para ocupar seu lugar. José Lázaro jogou com tanta vontade e talento que se tornou o Pinga I. Arnaldo, o mais velho, passou a ser o Pinga II. Arnaldo, o Pinga II, acabou indo para o Juventus. Em 1944 o Juventus de Arnaldo enfrentou a Portuguesa de Pinga. Resultado: 2x0 para o Moleque Travesso. José Lázaro ficou louco de vergonha e raiva com a vitória do irmão. Naquela noite a família Robles jantou sem ele. Pinga esperou que todos tivessem dormido para voltar para casa.

(os irmãos Pinga - site Museu dos Esportes)
A rivalidade entre os dois acabou alguns anos depois. Arnaldo voltou para a Portuguesa e os irmãos participaram do ataque arrasador da Lusa que incluía Renato, Ninho e Simão. Entre 1944 e 1952 Pinga se tornaria o maior artilheiro da história do Canindé. Com a camisa rubro-verde, marcou 132 gols em campeonatos Paulistas, 18 no Rio-São Paulo, 16 em jogos internacionais e 24 nos amistosos. Total: 190 gols." (Fonte: Revista Placar)

Obs.: o site www.sitedalusa.com afirma que Pinga fez 202 gols pela Portuguesa





Pinga chega ao Vasco em 1953, na mais cara transação do futebol brasileiro até aquela data. E chega para fazer história! Foi fundamental na conquista dos títulos nos Campeonatos Cariocas de 1956 e 1958. Com a facilidade que tinha para fazer gols, tornou-se o quarto maior artilheiro da História do Vasco (foram 250 gols e Pinga fica atrás apenas de Roberto Dinamite, Romário e Ademir).








(Pinga, o atacante de arrancada fulminante e chute fatal)


 Resumo da carreira do artilheiro publicado no site da CBF:

“Pinga, paulista da Mooca, começou no Juventus – em que também encerrou a carreira – e foi depois para a Portuguesa de Desportos, em que teve sua fase de ascensão em meados dos anos 40 como um ponta-de-lança de que tinha no pé esquerdo um chute forte e indefensável que o transformaria em artilheiro.  Dessa forma, foi logo convocado para a seleção paulista, onde foi titular por muitos anos. Foi convocado para a Seleção Brasileira pela primeira vez em 1949, como reserva da equipe que conquistou o Campeonato Sul-Americano, mas cortado da Copa de 50.
O seu período de grande brilho viria em 1952. Foi campeão e artilheiro do Torneio Rio-São Paulo pela Portuguesa, campeão brasileiro pela seleção paulista e campeão pan-americano no Chile, naquele que foi o primeiro título do Brasil no exterior – marcou dois gols na competição.
Com o futebol valorizado, foi negociado da Portuguesa para o Vasco, na maior transação na época no futebol brasileiro – e retribuiu o investimento do clube com excelente participação na conquista do Torneio Octagonal Rivadavia Correia Meyer, disputado no Rio e em São Paulo. Pinga marcou dois gols na final em que o Vasco derrotou o São Paulo por 2 a 1 no Maracanã. Em 1954, ele disputou a Copa do Mundo da Suíça.
Em 1956, com Martim Francisco como treinador do Vasco, Pinga deixou de ser definitivamente ponta-de-lança para ser fixado na ponta esquerda, já aos 32 anos. O Vasco foi campeão naquele ano e realizou uma vitoriosa excursão à Europa, em 1957, quando conquistou a Taça Tereza Hererra e o Torneio de Paris.
Como ponta-esquerda, Pinga ainda conquistou pelo Vasco o Torneio Rio-São Paulo e o campeonato carioca daquele mesmo ano decidido em um Super-Supercampeonato contra Flamengo e Botafogo.” (Fonte: site CBF News)


(Pinga na Seleção)


Na Seleção Brasileira:

-Pinga marcou 10 gols em 19 jogos;
-Foi Campeão Pan-Americano em 1952 no Chile, primeiro título do Brasil no exterior, marcando inclusive um dos gols na final (3x0 sobre o Chile);
-Disputou a Copa de 1954 na Suíça e fez dois gols.







(Válter, Bellini e Pinga - foto publicada na Manchete Esportiva)
“Dirigido pelo excelente Martim Francisco o time do Vasco em 1956 surpreendeu o Brasil jogando pela primeira vez no 4-2-4, sistema que mais tarde seria adotado pela Seleção. À frente do goleiro Carlos Alberto erguia-se uma verdadeira muralha, formada por jogadores do naipe de Paulinho, Bellini, e do grande quarto-zagueiro Orlando, todos craques de seleção. O meio campo tinha o garoto Écio, um exemplo de abnegação, e o craque maior Válter Marciano, que encantaria a torcida francesa no Torneio de Paris. Na frente despontavam Sabará, um dos jogadores mais queridos pela torcida do Vasco em todos os tempos; Livinho, um meia que era habilidade pura; Vavá, centroavante de grande coragem, o “Peito-de-aço” da torcida vascaína; e finalmente o incomparável ponta-esquerda Pinga, ídolo da minha infância.” (Livro O Expresso da Vitória – Uma história do fabuloso Vascão “Machão” da Gama, escrito pelo médico Abraham B. Bohadana)


(Sabará, Pinga, Almir, Vavá e Rubens)



Em 1958 o Vasco, além de conquistar pela primeira vez o Torneio Rio-São Paulo, venceu de forma emocionante o Campeonato Carioca.
Vasco, Flamengo e Botafogo terminaram o campeonato empatados e houve a necessidade não de um, mas de dois triangulares, pois as três equipes ficaram com os mesmos pontos no primeiro triangular. O segundo triangular, realizado já em janeiro de 1959, foi chamado de "super-supercampeonato".  No final, deu Vasco. 





(Pinga e Almir comemorando no vestiário)

Na primeira partida do primeiro triangular para definir o campeão, o Vasco venceu o Flamengo por 2x0 com gols de Pinga e Almir (que estão na foto da capa da revista Manchete Esportiva de dezembro de 1958) e depois perdeu por 1x0 para o Botafogo. Como o Flamengo havia vencido o Botafogo por 2x1, ficaram todos empatados. Foi necessário o segundo triangular.
O Vasco venceu o Botafogo por 2x1, com dois gols de Pinga e o título veio na partida contra o Flamengo. O Vasco jogava pelo empate em um Maracanã lotado, com  mais de 150.000 torcedores. O jogo terminou 1x1. O gol do Vasco foi marcado por Roberto Pinto. Após 26 jogos, o Vasco teve 16 vitórias, cinco empates e cinco derrotas. Pinga foi o artilheiro do time e marcou 16 dos 56 gols do Vasco.



O VASCO SUPER-SUPERCAMPEÃO


(Pinga com seu filho Ziza)


Em 1978, a Revista Manchete Esportiva fez uma matéria com Pinga e seu filho Ziza (Encontro de Gerações). Ziza foi um ponta esquerda revelado no início dos anos 70 pelo Juventus. Depois, ele foi para o Guarani em 1975, e, posteriormente, jogou no Atlético Mineiro, no Botafogo e encerrou a carreira nos anos 80 jogando na Inter de Limeira. Na reportagem, o filho coruja declara (com justiça): "Digo com toda a sinceridade que em matéria de futebol meu ídolo é o Pinga, meu pai".
 
 
 
 
 
 
 
 
Algumas curiosidades sobre o Pinga:
- fez 250 gols com a camisa do Vasco e foi um dos maiores artilheiros da história do clube;
- seu ídolo no futebol era o craque Zizinho;
- das suas muitas conquistas, não guardou nada. Pinga distribuiu tudo (medalhas, faixas, camisas) com os amigos.
 
"Meu forte era a velocidade. Naquele tempo, o futebol era mais técnico que o de hoje, mais lento. Eu me destacava justamente por correr muito." (Pinga na Manchete Esportiva - abril/1978)
 
 
 
 
 
Fontes:

- Site da CBF ( CBF News )
- NETVASCO
- Revista Placar (nov/2009 - coluna MORTOSVIVOS)
- Site do Mauro Prais (www.netvasco.com.br/mauroprais)
- Site da Portuguesa de Desportos (www.sitedalusa.com)
- Site Museu dos Esportes (http://www.museudosesportes.com.br/)
- Livro "O Expresso da Vitória", do médico Abraham B. Bohadana
- Revista Manchete Esportiva (abril/1978)

5 comentários:

  1. Ricardo Antonio,
    Seu blog tem tudo a ver comigo. Conheço muitas histórias do Vasco da Gama, mas não me canso de ler qualquer coisa sobre o Gigante da Colina. Com esse blog, você me incentivou a reativar um dos meus, que é o "Mundo Desportivo" (http://mundodesport.blogspot.com/), através do qual vamos "dialogar" por aqui.
    Parabéns Gostei do que já vi e pretendo colaborar no que você quiser.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Ricardo
    Excelente blog e fartamente ilustrado, dissecando tudo dos nossos ídolos. Vou adiciona-lo aos meus blogs e por ventura 3 deles estão nos seus favoritos.
    O www.sovascodagama.blogspot.com e eu estamos a seu dispor.
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Ola' Ricardo,

    Parabens pela iniciativa de criar o blog e pela fartura do material e otimas imagens. Pode contar com a minha presenca assidua.

    Grande abraco,

    Mauro Prais

    ResponderExcluir
  4. Airton Leitão, Jorge Costa e Mauro Prais,
    é um prazer ter os amigos por aqui!
    E já agradeço pela colaboração que antecede ao blog! O Airton com os comentários desde os meus álbuns vascaínos no orkut; o Mauro Prais com o melhor site sobre o Vasco que conheço e que sempre visito para consultar; o Jorge Costa com seu ótimo blog "Só Vasco da Gama", rico em informações. Desejo que curtam e participem do blog dos Gigantes! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Ricardo, parabéns pelo blog.
    A rica história do nosso Vasco da Gama precisa sempre ser repassada aos mais novos. E relembrada pelos que viram essas feras em campo.
    Um abraço,
    Fred Gaspar

    ResponderExcluir